Via Varejo registra queda no lucro, mas vendas aumentam no 1º trimestre


sexta-feira, 27 de abril de 2018

Via Varejo registra queda no lucro, mas vendas aumentam no 1º trimestre

A Via Varejo teve crescimento de dois dígitos da receita e nova evolução das margens no primeiro trimestre, mas o resultado foi ofuscado por uma queda no lucro, devido ao maior pagamento de impostos.
 
A dona das bandeiras Casas Bahia e Pontofrio anunciou ontem que teve lucro líquido de R$ 71 milhões nos três primeiros meses do ano, queda de 26% contra um ano antes. A companhia pagou R$ 74 milhões em imposto de renda, enquanto tivera um crédito de R$ 11 milhões nesta linha um ano antes.
 
O resultado operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado foi de R$ 407 milhões no trimestre, 24,1% acima de um ano antes. A margem Ebitda subiu 0,67 ponto percentual ano a ano, para 6,1%, registrando o quinto trimestre sequencial de elevação.
 
A receita líquida subiu 10,5%, para R$ 6,62 bilhões, com o faturamento das lojas físicas subindo 11,4%, enquanto o dos canais on-line cresceu 6,4%. As vendas na base mesmas lojas subiram 10,6%.
 
As despesas com vendas, gerais e administrativas cresceram 12,4% sobre um ano antes, para R$ 1,76 bilhão.
 
O grupo em fevereiro passou por uma troca de comando, com Flávio Dias assumindo como presidente-executivo no lugar de Peter Estermann, que nesta sexta-feira assume a presidência do Grupo Pão de Açúcar.
 
De janeiro a março, a Via Varejo investiu R$ 106 milhões, montante que envolveu a abertura de 12 lojas e a reforma de outras 16. O plano da companhia é de abrir até 80 lojas neste ano.
 
A empresa fechou março com R$ 2,5 bilhões em recebíveis não descontados, declínio de R$ 114 milhões em relação a um ano antes.
 
O índice de inadimplência no crediário acima de 90 dias ficou em 7,5%, ante 7,7% no primeiro trimestre de 2017. Já o índice de 15 a 90 dias ficou estável em 16,3%.
 
Datas comemorativas -  A Via Varejo está preparada para atender à demanda dos consumidores para o Dia das Mães e a Copa do Mundo, disseram executivos do grupo.
“Estamos muito bem preparados em termos de estoque, mix de produtos e estratégia para que tenhamos posição competitiva adequada para eventos sazonais”, afirmou o presidente-executivo da companhia, Peter Estermann, durante teleconferência sobre os resultados do primeiro trimestre.
 
“Vamos concluir amanhã o processo de transição do comando da Via Varejo e estou muito confiante de que sob a liderança do Flavio a companhia vai prosseguir de modo acelerado com a transformação digital”, disse Estermann.
 
O ritmo de implementação de várias iniciativas da companhia, incluindo os chamados “mini-hubs” (pequenos galpões em lojas físicas), deve ganhar força nos próximos trimestres, de acordo com o diretor executivo de operações da varejista de móveis e eletrodomésticos, Paulo Adriano Naliato.
 
A Via Varejo já conta com cinco mini-hubs nas cidades de Mauá (SP), Brasília (DF), Curitiba (PR), Teresina (PI) e Cuiabá (MT). O plano é elevar esse número a 70 unidades Casas Bahia e Pontofrio até o fim de junho e 220 até dezembro.
 
A empresa também vem empenhando esforços para expandir o marketplace, atualmente com 3,3 mil vendedores, acima dos 3 mil do ano passado, que segundo os executivos deve se consolidar ao longo de 2019 como importante fonte de receitas para Via Varejo.
 
“Estamos terminando ajustes no sistema e em processos internos para englobar mais sellers e já no segundo semestre teremos condições de alavancar esse número”, afirmou Dias em seu último dia como diretor da unidade de negócios on-line.

Fonte: Diário do Comércio